Preocupação da APEO sobre as notícias difundidas pela Comunicação Social e Outubro de 2022 sobre o encerramento de Serviços de Urgência de Obstetrícia e Ginecologia em Portugal

 

A Associação Portuguesa de Enfermeiros Obstetras manifesta grande preocupação relativamente à proposta de encerramento de vários serviços de urgências de obstetrícia/ginecologia no nosso país, como medida para “solucionar” os problemas atuais relacionados com falta de médicos obstetras na resposta às escalas de urgência.

Compreendemos que a solução não é fácil para dar resposta aos serviços atualmente ativos. No entanto, o encerramento destes serviços, principalmente no que concerne ao acompanhamento do trabalho de parto e parto, causará um impacto negativo na acessibilidade e um aumento da pressão nas restantes instituições, que poderão não estar estruturalmente e operacionalmente preparadas para receber todos estes novos encaminhamentos.

Neste sentido, propomos em alternativa a transformação destes serviços obstétricos em Unidades de Cuidados na Maternidade, geridas por Enfermeiros Especialistas em Saúde Materna e Obstétrica, para acompanhamento de mulheres de baixo risco na gravidez, parto e pós-parto, como uma solução segura e eficaz na resposta ao problema atual. Esta solução levaria igualmente à centralização de obstetras para os grandes centros, especializados no risco, ao mesmo tempo que permitiria às mulheres de baixo risco manter o acesso ao acompanhamento de gravidez, parto e pós-parto nas suas comunidades e em segurança.